logo 2 jpgA Região Turística Maravilhas do Rio Grande é formada por 11 municípios e está localizada na 8ª Região Administrativa de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. A maior parte dos municípios faz fronteira com os estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Estão a uma distância média de 550 quilômetros da capital paulista, favorecidos por ótimas estradas como: Rodovia Washington Luís (SP 310), Rodovia Euclides da Cunha (SP 320) e Rodovia Péricles Belini (SP 461), interligando os municípios por meio de estradas vicinais 100% pavimentadas.

Os 11 municípios estão localizados em uma região de destaque, economicamente favorável. São José do Rio Preto, considerada a capital do Interior Paulista com uma população de 450.657 mil pessoas, oferece infraestrutura de primeiro mundo inclusive com o único aeroporto internacional desta região. Apesar do Rio Grande ser o principal atrativo turístico que conecta e identifica esta região turística, outros segmentos turísticos são constantemente praticados como: Turismo Cultural, Ecoturismo, de Intercâmbio, Gastronômico, Eventos, Pesca e de Esportes Radicais. Proporcionando múltiplas possibilidades de roteiros e destinos para todas as idades.

O Trade Turístico existente nos 11 municípios é outro diferencial, composto por centenas de hotéis, restaurantes e pousadas. Os eventos são outro fator de destaque: citamos como exemplo os que atraem maior fluxo turístico como o Fliv – Festival Literário de Votuporanga, que em sete edições já atraiu mais de 300 mil pessoas; o EURISO, de Fernandópolis, evento que reúne grupos circenses de todo o país; e o OBA Festival, que em 2017 atraiu mais de 20 mil pessoas inclusive de outros países. As festas típicas realizadas no formato de rodeio também atraem turistas de toda a região. Assim como novos eventos criados que usam o milho, a mandioca como base para preparar ingredientes e pratos típicos que fazem parte da culinária local/regional. A Região Turística Maravilhas do Rio Grande surgiu da necessidade de agrupar cidades que tinham como atrativo turístico em comum o Rio Grande.

Formada a partir do desmembramento da Região Turística dos Grandes Lagos, com o objetivo de dinamizar as estratégias, com um número reduzido de cidades. Idealizada inicialmente pelas equipes das prefeituras de Mira Estrela, Ouroeste, Indiaporã, Cardoso e Riolândia foi ganhando notoriedade e atraindo mais e mais cidades do entorno. Hoje somam-se 11 cidades: Cardoso, Fernandópolis, Guarani D’Oeste, Indiaporã, Meridiano, Mira Estrela, Ouroeste, Pedranópolis, Populina, Riolândia e Votuporanga.

Atualmente, o Turismo vive um grande momento. Apesar da Regionalização do Turismo ter sido criada em 2008 pelo Ministério do Turismo, nos últimos dois anos os municípios estão se mobilizando com mais intensidade. Um dos motivos principais é a criação da Lei nº 1261/2015, que instituiu o MIT – Município de Interesse Turístico, do Governo do Estado de São Paulo. O programa classificará 140 cidades paulistas como turísticas, recebendo recursos de até R$ 600 mil, por ano, durante três anos, para investimento e melhorias no setor. Além das 70 Estâncias Turísticas, já classificadas. Das 11 cidades que compõem a Região Turística Maravilhas do Rio Grande, seis cidades já conquistaram o título e outras estão aguardando parecer. 

Este recurso tem como principal objetivo preparar as cidades para serem destinos turísticos receptivos capazes de se conectarem e aproveitar ao máximo, de forma planejada e sustentável, os atrativos turísticos existentes em cada município. Grandes investimentos na área de infraestrutura, sinalização turística, melhoria da qualidade do atendimento e o principal da qualidade de vida da população envolvida. Recursos estes que causarão impactos significativos na economia local, atraindo novos empresários e empreendimentos turísticos, mostrando a força do turismo como gerador de receitas a todos os envolvidos.

Anúncios